PM e MAA acompanham implementação do PEMSMAA no terreno

No âmbito da implementação do Programa de Emergência para Mitigação da Seca e do Mau Ano Agrícola, o Primeiro-ministro de Cabo Verde, José Ulisses Correia e Silva, acompanhado do Ministro da Agricultura e Ambiente, Gilberto Silva, efetuaram um périplo aos vários municípios da ilha de Santiago, para se inteirarem, no terreno, da execução do programa.

Para o Primeiro-Ministro e Ministro da Agricultura e Ambiente, é gratificante constatar que o Programa de Emergência para Mitigação da Seca e do Mau Ano Agrícola, está a ser muito bem implementado.

Da visita pôde-se constatar que nos concelhos de São Salvador do Mundo e Santa Catarina, uma boa fatia do projeto vem sendo absorvida. Já foram empregues cerca de 57 mil contos, abrangendo diretamente as famílias, dando emprego a mais de 1500 mulheres.

Tanto neste, como em São Salvador do Mundo, à semelhança do Tarrafal, a implementação do programa mereceu nota positiva. Foram visitadas as lojas de ração, onde se pôde constatar que se encontravam abastecidas e conformes as exigências do programa.

Em São Salvador do Mundo, um dos municípios mais rurais do país, a vertente criação de empregos tem tido igualmente grande impacto nas comunidades. São Salvador, um dos concelhos com fortes ligações à agricultura, com a maioria dos agregados familiares dependente deste sector, cerca de 250 pessoas estão a trabalhar em obras públicas no âmbito do PEMSMAA.

O Ministro da Agricultura e Ambiente lembrou, que o uso eficiente de água, é um dos componentes fortes do programa e que o município será contemplado com um pacote de cerca de nove mil contos.

Foi feito uma avaliação intensiva no terreno, estando em contacto com a população local, os fabricantes de ração e os Presidentes das Câmaras Municipais. Tudo isso permitiu a constatação do andamento das mediadas em curso. Na vertente salvamento de gado, a participação das fábricas de ração, teve um papel muito importante, trazendo técnicas inovadoras na produção da ração, num contexto adaptativo aos efeitos da seca.

No que concerne à linha de crédito, o seu funcionamento decorre de forma efetiva e na vertente gestão da escassez da água, está-se num percurso de lançamento de concursos para aquisição de   equipamentos e instrumentos, que vão permitir melhorar a situação do abastecimento.

A criação de emprego, tem permitido, simultaneamente, a realização de um conjunto de obras urbanas e a criação de emprego às famílias mais afetadas pela seca. Todas essas observações levaram a concluir esta quarta-feira 14, que a implementação das ferramentas criadas para a mitigação da seca e do mau agrícola nos diversos concelhos, merece uma nota positiva.

Neste sentido concluiu-se, que foram criadas oportunidade para todos e que o forte engajamento do Governo, das Câmaras Municipais, dos parceiros envolvidos e da colaboração da população local, tem contribuindo para um resultado efetivo e eficiente do programa, mitigando os efeitos da seca e, consequentemente, tornando Cabo Verde mais resiliente.

Entretanto, o desafio continua. É preciso mudar práticas e atitudes em relação a agricultura, adaptar-se à realidade do país e só assim, caminhar rumo ao desenvolvimento.